TUGAZOMBI

cadáver semi-frio com cereja na terceira narina

sábado, outubro 15, 2005

SONETO XIII

0
[ATENÇÃO: este soneto do séc. XVIII
poderá chocar os mais sensíveis;
tome as devidas precauções:
use preservativo!]

É pau, e rei dos paus, não marmeleiro,
Bem que duas gamboas lhe lombrigo;
Dá leite, sem ser árvore de figo,
Da glande o fruto tem, sem ser sobreiro:

Verga, e não quebra, como zambujeiro;
Oco, qual sabugueiro tem o umbigo;
Brando às vezes, qual vime, está consigo;
Outras vezes mais rijo que um pinheiro:

À roda da raiz produz carqueja:
Todo o resto do tronco é calvo e nu;
Nem cedro, nem pau-santo mais negreja!

Para carvalho ser falta-lhe um V;
Adivinhem agora que pau seja,
E quem adivinhar meta-o no cu.

Manuel Maria Barbosa du Bocage
in Poesias Eróticas Burlescas e Satíricas, ERL 1991

1 Comments:

Blogger Pinto Ribeiro said...

METE-O TU, KARALHO...e olha ku gaijo parte-se. ai parte, parte...eheheheheh....1 abraço.

12:36 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home