TUGAZOMBI

cadáver semi-frio com cereja na terceira narina

terça-feira, outubro 18, 2005

NOITE-MÃE...

NOITE-MÃE grito-te ó claustro fundente
secam as horas brilham os minutos
e num segundo fervo éguas brancas
espasmos de vísceras salpicados neste

pão branco que parto à mesa
alumiando vultos que colhi na clareira estelar

por desarmarem-me a pele
ANTESONHO minha estação motriz
cordilheira surda dos sete degelos
canto-te ó neblina óssea que
com incenso fecundo envolves
beijos podres do sol
a marinarem-se baços: bagas serôdias
balas soporíferas ocupando as câmaras
do revólver fálico que ferirá de luz
a vulva lunar


Porfírio Al Brandão
in Lugares Unguentam Almas
pré-publicação 2005

1 Comments:

Blogger Mendes Ferreira said...

"Tás" no Piano...al poeta...bjs.

3:13 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home