TUGAZOMBI

cadáver semi-frio com cereja na terceira narina

domingo, dezembro 18, 2005

PARASITA MUSICANTE

pé ante pé espreito
o caruncho tropeçando nos filamentos nervosos
da guitarra;
e ela declama a sua narrativa – eu sem mim, imerso
no tráfego de sons

escalando a palavra escarpada pela pronúncia
avisto além o muro da gordura lexical

sigo o caruncho até à toca – junta-se aos seus.
boquiaberto com a desova da laringe matriarca,
foco as cabeças que curiosas
afloram às janelas da flauta a desatracar

rumo à fábula
Porfírio Al Brandão
in Iconocaptor
pré-publicação

3 Comments:

Blogger TMara said...

Bjs e ;) menino

9:26 da manhã  
Blogger sonia r. said...

Bom dia poeta. Bjos.

1:52 da tarde  
Blogger Rosario Andrade said...

Porfirio...
...nao sei em que veia oculta encontras estas palavras e todo este surrealismo!... delicioso!

Abracicos!

10:55 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home