TUGAZOMBI

cadáver semi-frio com cereja na terceira narina

segunda-feira, janeiro 02, 2006

3

é o vento que me convoca, é o vento que me provoca
e a cadeira balouça: o velho
estirado completo na sua demência obscura
no seu passar igual dos anos
com a maresia dum louco cérebro à solta

balouça digerindo música seu diminuendo
da única alegria bebendo fluidos
planam pássaros
dolorosos cansaços vistos ao espelho
todo o dia toda a noite
e durante o sono masca aquele grão de loucura
obstipado na glândula
que à tarde amena se subtrai

ele repica passos, envolve-os em geleia crispada
e há migalhas na mesa
e há cadeiras fixas na memória
desmaiadas no pensamento
e há a ardência indolor dos olhos
água que jamais ressuscitará

irá de novo lançar redes para embrulhar peixes
e embalá-los num sono de alcofa
nunca mais dirá o seu nome
nem acariciará a fotografia
e o álbum há muito que é uma sepultura
há muito que alberga apenas traça
na sua vida minúscula
com vivência alegre da sua minúscula memória
mas que vive
vive
mesmo que minúscula a sua alegria

o velho arderá na planície
e nunca mais se ouvirá nele o eco da montanha

que algum dia lhe haviam falado
Porfírio Al Brandão
in episódios

15 Comments:

Blogger Mendes Ferreira said...

é muito bom Porfíro. mesmo. do melhor. excelente.

grande abraço.

parabéns.

11:46 da tarde  
Blogger petitechine said...

Descalça vai pera a fonte
Lianor pela verdura;
Vai fermosa, e não segura.

2:01 da manhã  
Blogger solitarylagoon said...

Porque quem ama nunca sabe o que ama
Nem sabe porque ama, nem sabe o que é amar...

2:34 da manhã  
Blogger Flor said...

Genial
Adorei
um xi

12:20 da tarde  
Blogger deumus said...

Louva o Demo e esquece as loas. ( Que pretenciosismo...o deles... ). Trabalha.

1:10 da tarde  
Blogger Rosario Andrade said...

Querido Porfirio,
Perfeito. E para a perfeicao nao ha adjectivos.
(Cada vez gosto mais de vir aqui ler-te...)

Abracicos!

3:29 da tarde  
Blogger Mendes Ferreira said...

não trabalhes Porfírio....há coisas palavras sentidos sentimentos que não se elaboram....surgem são voam planam e alcançam plenitudes insuspeitas....continua.


b ei j o s.

5:25 da tarde  
Blogger petitechine said...

escrever não é para você um trabalho. você é um criador. sua escrita flui. derrame sua alma. para liberar-se..

sempre com você

6:16 da tarde  
Blogger solitarylagoon said...

Eu sou
Para você.. esperança.

6:27 da tarde  
Blogger Pinto Ribeiro said...

...vive dos rendimentos!!! LOL!!!...e liga ao keu digo e num ao keu faço...LOL!...abraços Kamarada.

8:13 da tarde  
Blogger paloma said...

El, le conoce
sabe de sus heridas, de sus carencias, de su prisión y de su angustia.. le ama y está consigo.

8:47 da tarde  
Blogger martim said...

louvável episódio este e, no entanto, outros existem. abraços.

10:58 da tarde  
Blogger Mendes Ferreira said...

B.E.I.J.O.

11:14 da tarde  
Blogger petitechine said...

beijo seus olhos
lambo seu coração

11:31 da manhã  
Blogger TMara said...

e qnd o velho arder na planície na luz, no fogo, nas línguas dançantes ribombará pela última vez a voz-eco da montanha.
Lindo.
Bjocas de luz e paz

7:28 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home