TUGAZOMBI

cadáver semi-frio com cereja na terceira narina

segunda-feira, junho 05, 2006

TRINCA-PEDRAS

quando os animais de vento animados sepultam ventosas
e brincam com as gengivas num inoxidável bacio
é porque esperam a onda helicoidal da fonte refractada
onde os trinca-pedras lavam as patas
desalentados pelo tédio de excretarem néctar pelas narinas

sabem no fundo estes pássaros que tudo acaba no açúcar
sempre demasiado doce até bafejar ácido
e por isso povoam o ar com alforges de banha nas asas
delineiam inimagináveis corpúsculos
quântica areia espasmódica dos olhos medrados
na negação do azul

eternos reprimidos no carrocel latifundiário
filmam tremores ofuscantes em voo picado
debicam cegos o swing de luz oxigenado
todos eles morrem velhos e sedentos de areia
e eu aqui num jogo de atear maçãs
que de olhar esganado os piloros selados das pedras
ganhei o meu tique nervoso na perna direita
Porfírio Al Brandão

3 Comments:

Blogger Mendes Ferreira said...

eu eu eu gosto muito do que escreves... mesmo.

mas mesmo muito....


beijo.te.

9:22 da manhã  
Blogger martim said...

pássaros que entram no corpo nervoso. abraço.

8:24 da manhã  
Blogger alice said...

querido porfírio,

após um longo sofrimento na fila de espera para poder comentar, dado o servidor ter estado de folga durante o dia, quero dizer-te acima de tudo que adorei ler-te e que te agradeço os comentários sempre muito especiais que fazes

um grande beijinho para ti

alice

8:01 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home