TUGAZOMBI

cadáver semi-frio com cereja na terceira narina

quarta-feira, janeiro 04, 2006

PREDESTINADA (Judith Teixeira)

Sou amargura em recorte
numa sombra diluída...
Vivo tão perto da morte!
Ando tão longe da vida...
Quis vencer a minha sorte,

Mas fui eu que fui vencida!
Ando na vida sem norte,
Já nem sei da minha vida...
Eu sou a alma penada

de outra que foi desgraçada!
—A tara da desventura...
Sou o Castigo fatal

dum negro crime ancestral,
em convulsões de loucura!

Novembro - Tarde Cinzenta
1922
mas se apreciam Judith
aconselho-vos a visitar um blog
do meu kamarada e amigo Martim:
wwweuropa.blogspot.com
e já agora:

5 Comments:

Blogger Mendes Ferreira said...

predestinado para ser bom. bom dia.

11:57 da manhã  
Blogger spartakus said...

Ora bom dia Senhor Porfírio. Se isso existe nesta choldra...

11:59 da manhã  
Blogger petitechine said...

Prestar atenção para o horizonte em seu mar. nesse horizonte há um sol. um sol que gusta para esconder às vezes. Mas aquele é o teste que o tempo não para.
Beijo suas mãos.
Eu estendo suas mãos, para o horizonte

12:19 da tarde  
Blogger sonia r. said...

Boa tarde, Porfírio. Bjinhos.

3:38 da tarde  
Blogger Flor said...

claro que vou visitar o blog que aconcelhas..
mas com mais calma, agora quero é ir para casa!
beijo

5:09 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home