TUGAZOMBI

cadáver semi-frio com cereja na terceira narina

sexta-feira, fevereiro 17, 2006

11

ela sorriu às avessas e despiu a cidade
dizimou formigueiros soprando auréolas de fumo
- veio ridiculenraizar o amor


viaja num vagão azul
com a cadência solta das vértebras encharcadas
de quotidiano
massaja barro traduzindo assobios de flores
e estrangula lírios depois de os amamentar

perco-a em tantas faces
e ela nas escadas das nuvens de tão meu
céu confidente
tão meu refúgio quão
écran mutilador

sigo-lhe o arabesco mágico do cheiro
a pique num amor fatiado
mordo-me por doar açúcar mercantil

ao mínimo malabarismo com ovários
aquele sorriso apodrece

e explodem-lhe vilosidades numa cartolina
enfeitiçada igreja dos gnomos de barro
Porfírio Al Brandão
in episódios

6 Comments:

Blogger petitechine said...

com voce.. sempre

1:38 da tarde  
Blogger Mendes Ferreira said...

a face.....oculta......



a face do teu dizer.











a face do al-poeta....









b.e..i.j.o.

4:12 da tarde  
Blogger martim said...

outro episódio rico e insólito. abraço.

11:50 da tarde  
Blogger xavier said...

"mordo-me por doar açúcar mercantil". Belo!

1:16 da manhã  
Blogger Mendes Ferreira said...

bom dia Porfírio....beijo. e obrigado...o meu piano anda triste.

8:33 da manhã  
Blogger TMara said...

o k é bom é bom. Nada + se deve dizer.
bjocas de luz e muita paz

7:02 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home