TUGAZOMBI

cadáver semi-frio com cereja na terceira narina

terça-feira, fevereiro 21, 2006

12

bêbado o profeta escoa salivas
as alucina por algemas barbudas
no habitat do verme – tricota o hábito
das algemas desfiando seda
descendo a outro salivar
que alcoólico se insinua a mucos perfeitos

profeta enquanto ossos
equilibrados no sopé do precipício
e espera, fica à espera e
tampouco desespera

espera o parto da manhã d’aço
lendo o leite emulsionado
no espaço – gotas de luz
grafismos de sémen

sílabas rasantes à vista

venera a soberba mancha lenta da abóbada
pressupõe que alguém será a voz da sarça
num minuto assim estranho como exacto
ao redor duma cratera ensanguentada
Porfírio Al Brandão
in episódios

1 Comments:

Blogger Mendes Ferreira said...

...mais um excelente episódio oh profeta que te inicias no labor da "língua"....



beijo Porfírio.

2:39 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home