TUGAZOMBI

cadáver semi-frio com cereja na terceira narina

segunda-feira, abril 03, 2006

21

rasgar garagem num sabugo
por ouvir nervoso meia dúzia de pinhas
simpaticamente prenhas
de chuverem hélices traz-me fricção
ó relâmpagos
caruma mágica nas mãos
arde amarga giesta quando
se esborracham olhos
errados na almofada
outrora cerejas frescas no topo
da plasticina

trampolim este sabugo fundo
algures dentro de mim a encorajar
janelas em fieitos de segredar à pele
daquele pequeno corpo
a arrancar membros às árvores
espadas depois
desembainhadas à claridade da manhã
vê-lo saltar dono e senhor de animais
bolindo nos micronichos dum oásis mudo
e o sol aprisionado em volta
pela cortina de pinheiros
Porfírio Al Brandão
in episódios

5 Comments:

Blogger solitarylagoon said...

........
En los oscuros pinos se desenreda el viento.
Fosforece la luna sobre las aguas errantes.
Andan días iguales persiguiéndose.

9:53 da manhã  
Blogger Alma said...

Um beijo e até sempre.

12:49 da tarde  
Blogger Rosario Andrade said...

ABSTRATO E PERFEITO. REDONDO E CONCAVO, como as palavras.
Bjico

2:09 da tarde  
Blogger clotilde said...

Não deixe a morgadinha ( que é a Luz)ir embora!!!

http://amorgadinha.blogspot.com/

2:31 da tarde  
Blogger martim said...

revista a grafia da chuva, é um formidável episódio. abraço.

12:20 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home