TUGAZOMBI

cadáver semi-frio com cereja na terceira narina

segunda-feira, junho 12, 2006

Benini (2006)

ontem dei por mim a passar por ti, não vou dizer aonde, estavas de costas, viravas a cabeça, vias-me pelo canto do olho e algo nas cores da roupa te cambiava o tom do olhar, sorrias a meio da boca, torcias os lábios, nada dizias, eu parada na montra a decifrar as mensagens dos carros a passar no vidro, tão depressa, tão inútil, tão arrepiada na curva das pernas onde o teu olho bicudo furava,
tão depressa,

tão profundo, só a paragem do metro testemunha, e os sacos das compras encostados, asas de plástico no meio de nós, não te lembras?

Alice

9 Comments:

Blogger Samartaime said...

excelente Al.....excelente Li.


____________________________beijos.

6:05 da manhã  
Blogger alice said...

porfírio!

o que é que eu hei-de dizer?

fico sem palavras

beijo-te

alice

12:05 da tarde  
Blogger alice said...

isto é muito complicado para mim

agradeço de coração

muito obrigada

beijinhos,

alice

12:05 da tarde  
Blogger alice said...

e a imagem é tão linda

adoro

tudo azul

lindo, porfírio

tu

beijo

12:07 da tarde  
Blogger alice said...

estou deleitada

absolutamente

encantada

fiz-me entender?

*****

12:15 da tarde  
Blogger kikas said...

Bom eu apenas deixo o meu abraço apertadinho na Alice, ela faz com que nas suas palavras vejamos tudo e mais alguma coisa.Este texto é sem duvida divino.
Miga um beijo do coração


Ao Porfirio apenas deixo duas palavras BLOG EXCELENTE, meus parabens e ja agora um bjinho

4:28 da tarde  
Blogger martim said...

pois é. a poesia é assim, assimptótica queda no quotidiano, atenção escutadora, perscrutadora. este o fulgor aliciano, este o abraço para ti, poeta agora menos mostrador.

10:46 da manhã  
Blogger pintoribeiro said...

o ideal é nada lembrar não esquecendo nada. um abraço Porfírio.

5:06 da tarde  
Blogger alice said...

é uma delícia vir aqui
`







beijooooooooooooooooooo

7:47 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home